Take a fresh look at your lifestyle.

Como a depressão durante a gravidez pode afetar os bebês

0 118

Como a depressão durante a gravidez pode afetar os bebês? Muitas vezes, a gravidez está associada a um período de felicidade, mas esse nem sempre é o caso para algumas mulheres, que sofrem com as alterações físicas, mentais e de sua vida social, neste período.

O momento da gravidez é um dos mais felizes, muitas mulheres realizam o ensaio gestante e ficam ansiosas pela chegada do seu filho. No entanto, há outras que, mesmo antes de dar à luz, existem sofrem de depressão e isso pode ter consequências importantes para a saúde do feto. Saiba o que é a depressão durante e pós-parto, o que causa a doença, riscos para o bebê e como tratá-la.

O que é depressão durante ou pós-parto?

A depressão (também chamada de transtorno depressivo grave ou depressão clínica) é uma condição médica que causa fortes sentimento de tristeza e desinteresse pelas coisas que costumavam ser feitas. Pode afetar a maneira como você sente, pensa e age, e pode interferir na sua vida diária.

A depressão perinatal é a depressão que ocorre durante a gravidez ou no primeiro ano após o nascimento do bebê. É uma das complicações médicas mais comuns da gravidez. Afeta até 1 em cada 7 mulheres (cerca de 15 %). Inclui depressão pós-parto, que é a depressão que ocorre após a gravidez.

É importante saber que a depressão não é sua culpa. E o tratamento pode ajudá-la a se sentir melhor. A depressão perinatal não tratada pode causar problemas para você e seu bebê. Se você acha que está com depressão, informe imediatamente seu médico.

Quais são os sinais e sintomas da depressão?

Para identificar a doença é preciso avaliar a duração dos sintomas, caso durem menos que duas semanas, pode ser apenas alterações hormonais, mas se passar disso é depressão.

Os Sinais e sintomas de depressão incluem:

  • Mudanças em seus sentimentos de forma repentina
  • Chorar muito
  • Sentindo-se inútil ou culpado
  • Pensando em morte ou suicídio
  • Mudanças na sua vida diária
  • Comer mais ou menos do que você come normalmente
  • Ter problemas para lembrar das coisas, se concentrar ou tomar decisões
  • Não conseguir dormir ou dormir demais
  • Retirar amigos e familiares do seu círculo social, ou seja, se isolar
  • Perder o interesse pelas coisas que você normalmente gosta de fazer
  • Mudanças no seu corpo
  • Não ter energia e se sentir cansado o tempo todo
  • Dor de cabeça, problemas de estômago ou outras dores que não desaparecem

Se você estiver grávida e tiver algum destes sinais, ou se os sinais piorarem, chame seu médico.

Exercícios físicos durante a gravidez
Exercícios físicos durante a gravidez

A depressão durante e após a gravidez pode afetar o seu bebê?

A depressão durante e após a gravidez pode afetar o bebê, pois a mãe passa a rejeitar a criança e os cuidados essenciais para manter o bem estar da mesma, além do seu vínculo materno com o bebê. Inclusive, há mães que quando o bebê nasce, se recusa até a pegá-lo no colo e amamentar.

Durante a gravidez, as mamães com depressão, passam a dotar hábitos que podem prejudicar o desenvolvimento e formação do feto, como uma dieta ineficiente, ingerir bebida alcoólica e drogas, não ir as consultas do pré-natal, não seguir as instruções médicas, entre outros.

Fatores esses que podem impedir o ganho de peso do bebê, além de causar má formação ou doenças gestacionais, entre outros.

No caso da depressão pós-parto, a mãe pode rejeitar a criança, negligenciando o vínculo materno, cuidados de saúde, higiene e bem estar do pequeno, além de não querer amamentar. O que é muito prejudicial para o desenvolvimento e crescimento saudável da criança.

Quais as consequências que a depressão da mãe pode causar no desenvolvimento da criança?

Um bebê que é mais irritado, menos ativo, menos atento e tem menos expressões faciais do que os bebês nascidos de mães que não sofrem de depressão durante a gravidez, podem ter problemas de aprendizagem, comportamentais e de desenvolvimento e condições de saúde mental.

Como tratar a depressão durante e após a gravidez?

Para tratar a depressão em mulheres gestantes ou que já deram à luz, existem três métodos: terapia sem medicação, medicamentos e terapia com auxílio de medicação em casos mais graves.

Muitas mulheres nem precisam fazer uso das medicações, pois apenas o tratamento com a terapia, que pode ser individual e em grupo, ajuda a fazer com que a mãe se conecte com essa etapa da vida, vivenciado as mesmas experiências que outras mulheres passam nessa fase, recebendo apoio, orientações e um convívio social frequente.

A terapia com medicação é mais indicada quando a mulher já teve depressão antes de ficar grávida, pois a mesma é mais suscetível e o quadro pode se agravar.

Já para o tratamento com a terapia e medicações é realizado nos casos mais graves de depressão, quando além de ter tido um quadro anterior à gestação, a mesma possui sintomas intensos e só a terapia não é o suficiente para promover o bem estar e melhora.

Dicas para tratar a depressão na gravidez e evitá-la

Não se isole

Por mais que esteja se sentindo mal e sofrendo com todos os sintomas da depressão, não se isole. Saia com amigos, participe de grupos de apoio, passe um tempo com a sua família, ao menos 1 vez na semana.

Quando estiver sozinha ou não quiser companhia, procure fazer as coisas que gosta, como dar uma caminhada ao ar livre, assistir um filme, praticar esporte (de acordo com a orientação médica), desenhe, escreva, etc.

Pratique exercícios

Os exercícios físicos, além de ajudarem a manter ou conquistar boa forma, melhoram o humor, permitem extravasar o estresse e sentimentos de raiva, aumenta os níveis do hormônio da felicidade, entre outros benefícios.

Você pode praticar esportes e diversos exercícios, mesmo durante a gravidez, desde que se atente as orientações médicas.

Durma bem

Por mais que após a gravidez seja trabalhoso ter horas ininterruptas de sono, tente melhorar alguns fatores para que as poucas horas de sono sejam boas, como deixar o quarto totalmente escuro, usar venda nos olhos, vestir uma roupa confortável, beber um chá antes de dormir para acalmar, entre outros.

Peça ajuda do seu marido, filho, outro, para revezar a hora de levantar e dar comida para o bebê. Para isso, deixe mamadeiras de leite materno separadas e cheias.

Durante o dia, tente adequar o seu período de sono ao do seu bebê, para tirar uma soneca sempre que possível.

Alimentação

A alimentação é essencial para manter os níveis hormonais adequados, evitar o ganho de peso excessivo, proporcionar bem estar e se sentir mais disposto. Durante a gravidez, evite alimentos processados, ricos em açúcar e carboidratos, opte por versões mais saudáveis e cheias de nutrientes, como exemplo, frutas, legumes, peixe, carne de frango, fígado, arroz, feijão, suco de laranja que contém ferro, entre outros.

Lembrando que, o intuito deste artigo é apenas informativo, não se automedique ou realize qualquer abordagem sem consultar um profissional da saúde.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Privacy & Cookies Policy