Take a fresh look at your lifestyle.

O que é Mindfulness ?

Mindfulness - A atenção plena é a habilidade humana básica de estar totalmente presente

0 19

Você deveria limpar sua mente ou se concentrar em uma coisa? Aqui está a definição consciente de Mindfulness.

O que é a atenção plena?

Mindfulness (Atenção plena), é uma palavra bem direta. Isso sugere que a mente está prestando atenção ao que está acontecendo, ao que você está fazendo, ao espaço pelo qual você está passando.

Isso pode parecer trivial, exceto pelo fato chato de nos desviarmos tantas vezes do assunto em questão.

Nossa mente foge, perdemos contato com nosso corpo e logo nos envolvemos em pensamentos obsessivos sobre algo que acabou de acontecer ou nos preocupamos com o futuro. E isso nos deixa ansiosos.

mindfulness metida
mindfulness metida

A atenção plena é a habilidade humana básica de estar totalmente presente, consciente de onde estamos e do que estamos fazendo, e não excessivamente reativa ou sobrecarregada pelo que está acontecendo ao nosso redor.

No entanto, não importa quão longe nos afastemos, a atenção plena está aí para nos levar de volta ao local onde estamos e o que estamos fazendo e sentindo.

Se você quer saber o que é mindfulness, é melhor tentar por um tempo.

Já que é difícil encontrar palavras, você encontrará pequenas variações no significado de livros, sites, áudio e vídeo.

A Definição de Mindfulness

Mindfulness – A atenção plena é a habilidade humana básica de estar totalmente presente, consciente de onde estamos e do que estamos fazendo, e não excessivamente reativa ou sobrecarregada pelo que está acontecendo ao nosso redor.

A atenção plena é uma qualidade que todo ser humano já possui, não é algo que você tem que conjurar, você apenas tem que aprender como acessá-la.

Embora a atenção plena seja inata, ela pode ser cultivada através de técnicas comprovadas:

  • Meditação sentada;
  • Meditação andando;
  • Meditação de pé;
  • Meditação em movimento;
  • Também é possível deitar-se, mas muitas vezes leva ao sono;
  • Pausas curtas que inserimos na vida cotidiana;
  • E juntar a prática da meditação com outras atividades, como yoga ou esportes .

Quando meditamos, não ajuda a se fixar nos benefícios, mas apenas a praticar, e ainda assim há benefícios ou ninguém faria isso.

Quando estamos conscientes, reduzimos o estresse, melhoramos o desempenho, obtemos percepção e consciência através da observação de nossa própria mente e aumentamos nossa atenção para o bem-estar dos outros.

A meditação da atenção plena nos dá um tempo em nossas vidas quando podemos suspender o julgamento e desencadear nossa curiosidade natural sobre o funcionamento da mente, abordando nossa experiência com carinho e bondade – para nós mesmos e para os outros.

8 Coisas para Saber Sobre Mindfulness:

  1. A atenção não é obscura ou exótica. É familiar para nós porque é o que já fazemos, como já somos. Leva muitas formas e passa por muitos nomes.
  2. A atenção plena não é uma coisa adicional especial que fazemos. Já temos a capacidade de estar presentes e isso não exige que mudemos quem somos. Mas podemos cultivar essas qualidades inatas com práticas simples que são cientificamente demonstradas para nos beneficiar, aos nossos entes queridos, aos nossos amigos e vizinhos, às pessoas com quem trabalhamos e às instituições e organizações das quais participamos.
  3. Você não precisa mudar. Soluções que nos pedem para mudar quem somos ou nos tornamos algo que não somos nos reprovaram repetidas vezes. Mindfulness reconhece e cultiva o melhor de quem somos como seres humanos.
  4. A atenção plena tem o potencial de se tornar um fenômeno social transformador.  Aqui está o porquê:
  5. Qualquer um pode fazer isso. A prática da atenção plena cultiva qualidades humanas universais e não exige que ninguém mude suas crenças. Todos podem se beneficiar e é fácil aprender.
  6. É um jeito de viver.  Mindfulness é mais do que apenas uma prática. Traz consciência e cuidado em tudo o que fazemos – e reduz o estresse desnecessário. Até um pouco torna nossas vidas melhores.
  7. É baseado em evidências. Não precisamos ter atenção plena na fé. Tanto a ciência como a experiência demonstram seus benefícios positivos para nossa saúde, felicidade, trabalho e relacionamentos.
  8. Isso desperta a inovação. À medida que lidamos com a crescente complexidade e incerteza de nosso mundo, a atenção plena pode nos levar a respostas eficazes, resilientes e de baixo custo a problemas aparentemente intransigentes.
mindfulness metidação
mindfulness metidação

Meditação Não é Tudo na Sua Cabeça

Quando pensamos em meditar (com a letra maiúscula M), podemos ficar indecisos pensando em nossos pensamentos: vamos fazer algo sobre o que está acontecendo em nossas cabeças.

É como se esses corpos que temos fossem apenas sacos inconvenientes para nossos cérebros arrastarem ao redor.

Tendo tudo isso em sua cabeça, porém, falta uma sensação de boa e velha gravidade.

A meditação começa e termina no corpo. Trata-se de tomar o tempo para prestar atenção para onde estamos e o que está acontecendo, e isso começa com a consciência do nosso corpo

Essa abordagem pode fazer parecer flutuante – como se não precisássemos andar. Nós podemos apenas flutuar.

Mas a meditação começa e termina no corpo. Trata-se de tomar o tempo para prestar atenção para onde estamos e o que está acontecendo, e isso começa com a consciência do nosso corpo.

Esse mesmo ato pode ser calmante, já que nosso corpo tem ritmos internos que o ajudam a relaxar se dermos uma chance.

Como se Sentar Para a Meditação

Aqui está uma prática de postura que pode ser usada como o estágio inicial de um período de prática de meditação ou simplesmente como algo a ser feito por um minuto, talvez para estabilizar-se e encontrar um momento de relaxamento antes de voltar à briga.

Se você tiver ferimentos ou outras dificuldades físicas, você pode modificar isso para se adequar à sua situação.

  1. Tome seu lugar. Seja o que for que você esteja sentado – uma cadeira, uma almofada de meditação, um banco de parque – encontre um local que lhe proporcione um assento estável e sólido, que não esteja empoleirado ou pendurado para trás.
  2. Observe o que suas pernas estão fazendo. Se estiver em uma almofada no chão, cruze as pernas confortavelmente à sua frente. (Se você já faz algum tipo de postura de ioga sentada, vá em frente.) Se estiver em uma cadeira, é bom que a parte de baixo dos pés esteja tocando o chão.
  3. Endireite – mas não enrijeça – a parte superior do corpo. A coluna tem curvatura natural. Deixe estar lá. Sua cabeça e ombros podem descansar confortavelmente em cima de suas vértebras.
  4. Situe os braços superiores paralelos à parte superior do corpo. Então deixe suas mãos caírem no topo de suas pernas. Com seus braços ao seu lado, suas mãos pousarão no lugar certo. Muito longe para a frente fará você se intimidar. Muito longe para trás vai fazer você duro. Você está afinando as cordas do seu corpo – não muito apertado e nem muito solto.
  5. Deixe cair seu queixo um pouco e deixe seu olhar cair suavemente para baixo. Você pode deixar suas pálpebras abaixarem. Se você sentir necessidade, pode abaixá-los completamente, mas não é necessário fechar os olhos ao meditar. Você pode simplesmente deixar o que aparece antes de seus olhos estarem lá sem se concentrar nele.
  6. Fique por alguns momentos. relaxar. Agora levante-se e continue o seu dia. E se a próxima coisa na agenda é fazer alguma prática de atenção plena prestando atenção à sua respiração ou às sensações em seu corpo, você começou com o pé direito – e mãos e braços e tudo mais.
  7. Começar de novo. Quando sua postura estiver estabilizada, sinta sua respiração – ou algumas pessoas dizem “siga” – à medida que ela sai e à medida que entra. (Algumas versões da prática enfatizam mais a expiração e, para a inspiração, você simplesmente deixa um espaço amplo. Inevitavelmente, sua atenção vai deixar a respiração e vagar para outros lugares. Quando você percebe isso – em alguns segundos, um minuto, cinco minutos -, volte sua atenção para a respiração. Não se incomode em julgar a si mesmo ou ficar obcecado com o conteúdo dos pensamentos. Volte. Você vai embora, você volta.
  8. É isso aí. Essa é a prática. Muitas vezes tem sido dito que é muito simples, mas não é necessariamente fácil. O trabalho é apenas continuar fazendo isso. Os resultados serão acumulados.
Mindfulness Atenção plena
Mindfulness Atenção plena

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.