Take a fresh look at your lifestyle.

Síndrome do pânico – o que é, sintomas, tratamentos e como lidar

Síndrome do pânico

0 35

Conhecido como Transtorno de pânico (TP) esta síndrome é caracterizada pelo ataque de crises de ansiedade repentinas, ou seja, elas podem acontecer a qualquer momento, hora ou situação, dificultando um controle do portador. Tais crises duram na média de 15 a 30 minutos e causam uma grande sensação de medo, mal-estar e alguns sintomas físicos.

O que é síndrome do pânico

A explicação médica/cientifica para a síndrome do pânico é de que a região central do cérebro (encarregado de controlar as emoções e liberar adrenalina) libera um hormônio fazendo com que o organismo do individuo esteja pronto para uma possível fuga ou luta contra um possível perigo eminente. No transtorno do pânico este hormônio é liberado sem qualquer motivo ou perigo presente, dando então a sensação de medo e mal-estar para a pessoa.

Causas da síndrome do pânico

Não existem estudos científicos 100% comprovados que possam dar uma resposta para o que leva uma pessoa a manifestar os sintomas desse transtorno; entretanto alguns fatores diversos como: estresse, fatores genéticos, uso descontrolado de remédios como anfetaminas e drogas e álcool; podem ser os responsáveis por tal síndrome.

Síndrome do pânico sintomas

Os sintomas de um possível ataque de pânico pode ser dividido entre aspectos físicos e psicológicos; confira a seguir:

Aspectos físicos 

  • Suor excessivo;
  • Formigamento;
  • Palpitações;
  • Dificuldade para respirar e falta de ar;
  • Desconforto/dores no peito;
  • Tontura;
  • Tremedeira;
  • Calafrios;
  • Sensação de fraqueza;
  • Sensação de calor;
  • Sensação de asfixia. 

Aspectos psicológicos 

  • Medo de morrer;
  • Não conseguir controlar os próprios pensamentos;
  • Sensação de estar fora do próprio corpo;
  • Sensação de estar sendo esmagado e sufocado;
  • Sentir muito medo mesmo sem um motivo para tal.

o que fazer

Síndrome do pânico tratamento

Apenas psiquiatras e psicólogos poderão ser os responsáveis por realizar todas as etapas do tratamento de um paciente com síndrome de pânico; uma vez em que o diagnostico for feito o tratamento para esta doença poderá ser feita de diferentes abordagens. Comumente o tratamento é iniciado com a indicação de antidepressivos e o início de uma psicoterapia; o tratamento pode levar de meses a anos, uma vez em que a síndrome não possui uma cura e sim um problema do qual pode ser controlado. 

Síndrome do pânico o que fazer 

Para conseguir superar ou contornar melhor o momento do qual estiver sofrendo com a síndrome do pânico é importante acima de tudo se manter tranquilo o máximo possível e não deixar que o desespero tome conta; sentiu que o transtorno lhe atingiu? Siga algumas das dicas abaixo para tentar lidar melhor com a situação:

  • Procure por um local do qual você se sinta seguro ou um ambiente mais calmo e fresco;
  • Se possível sente-se ou fique agachado;
  • Feche os olhos e pratique técnicas de respiração, inspire e expire lentamente pela boca durante alguns minutos; nesta ocasião uma ótima tática e você contar com óleos essenciais com aromas que sejam de sua preferência e lhe remetam a bons sentimentos e energias, os óleos do terra poderão lhe auxiliar nesta situação, fazendo com que você expire um aroma do qual lhe agrada e ajude a controlar sua respiração.
  • Em hipótese alguma recorra ao uso do álcool ou outras drogas para aliviar os sintomas do pânico;

Como ajudar alguém com síndrome do pânico 

Algum familiar, amigo ou até mesmo desconhecido está tendo uma crise de pânico próxima de si? Veja algumas atitudes simples que podem ajudar:

  • Mantenha a calma acima de tudo, mesmo que você tenha medo de não saber exatamente como ajudar ou o que fazer é importante que você demonstre segurança e paciência;
  • Converse com a pessoa em um tom calmo, seguro e tranquilo;
  • Ajude a controlar a respiração do individuo respirando juntamente com a pessoa;
  • Lembre a pessoa que por mais que ela esteja com medo e assustada não existe nada ali que possa lhe fazer mal;
  • Não faça suposições, mantenha-se por perto e pergunte se pode ajudar de alguma forma;
  • Se possível leve a pessoa para um local calmo e tranquilo; muito barulho e imagens intensificam o ataque.

 

  

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Privacy & Cookies Policy